Sonetos de um tempo em que os sonhos e a magia flutuavam em minhas varandas

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Lágrimas do Olhar...



Noite adentro, solitária, ela segue,
Um manto de estrelas, seu corpo, envolve,
Sente desespero, à tristeza, entregue,
No pensamento a dor, que nada dissolve...

Vai sem rumo, a desilusão a persegue,
Lágrimas no olhar, ao cair, o chão, absorve
No coração fica, sem que escorregue,
A lágrima do desengano, que revolve...

Não consegue esquecer, triste desenlace,
De um sonho, que a mente, ainda tumultua,
Mas que, na turva sarjeta, jaz, flutua...

Caminha só, amarga decepção na face
Porque se vestiu só de estrelas e de lua
Pensou ele, ser ela, uma mulher de rua...
(ania)

6 comentários:

  1. Ania, parabéns pelo lindo soneto!
    Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. lindo seu poste mas confesso que nunca entrei num blog tão maravilhoso a musica de fundo é delicada e maravilhoso esta tudo tão arrumadinho nossa amei demais seu espaço votos de um bom fim de semana e um Carnaval maravilhoso beijos

    ResponderExcluir
  3. Descrição perfeita da desilusão, de quem sonhou e não realizou, de quem acreditou em um sentimento que ruiu. Um soneto tocante e muito bonito. Parabéns pelo texto

    ResponderExcluir
  4. Tão bonito...

    Abraços, Ania.

    ResponderExcluir
  5. Ah...mas é muito lindo...Tu fazes sonetos brincando!!! Divino!

    ResponderExcluir
  6. Maravilhoso blogue onde a harmonia das palavras se enlaça em versos rimados e frases perfeitas. Poema lindíssimo. Gostei de ver e ler. Parabéns.

    Retribuo a visita que muito agradeço. Gostaria que, querendo, se fizessem seguidos/as. .. Obrigado.

    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/
    ********************
    Sou seguidor

    Linkei o endereço deste fantástico blogue, no meu ( Pensamentos e devaneios)
    *****
    Deixo cumprimentos

    ResponderExcluir