Sonetos de um tempo em que os sonhos e a magia flutuavam em minhas varandas

sábado, 9 de março de 2019

Enigma...






Faz tempo que por teu amor espero,
buscando um aceno ou qualquer sinal,
uma mensagem mesmo que surreal,
vasculhando teus versos, em segredo...

Em cada passo teu eu te acompanho,
trilhando contigo a mesma estrada,
te seguindo como quem não quer nada,
com um querer imenso, sem tamanho...

Mas o teu silêncio é uma charada,
charada difícil de desvendar,
um enigma que não consigo decifrar...

E assim fico sem entender mais nada,
nao sei como de ti não lembrar,
não sei como contigo não sonhar...
(ania)



7 comentários:

  1. Realmente o coração fica
    triste e magoado, quando
    não sabe se um dia irá
    tocar o outro que ama.

    Triste e belo sua poesia.

    Bom domingo.

    ResponderExcluir
  2. Um poema onde a expectativa pelo amor faz o coração sofrer.
    Beijos. Élys.

    ResponderExcluir
  3. Ay, si pudiéramos saber lo que el otro siente, todo sería diferente. Tememos hablar francamente de nuestros sentimientos porque tememos el rechazo y ese miedo nos hace sufrir y perder mucho tiempo. Espero que llegue el momento en que aprendamos a hablar -todas y todas- sinceramente de lo que sentimos por el otro. Un abrazo. Franziska

    ResponderExcluir
  4. Olá Ania; quanto tempo que não nos visitamos k.
    Os Enigmas...as vezes acontece e ficamos só na expectativa;
    Só os poetas conseguem transformar poemas tristes em
    belos! como este que nos mostras.
    Boa continuação de semana.

    ResponderExcluir
  5. Gostei de a ver voltar, maravilhoso soneto.
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  6. Mais do que a inteligência, precisamos da afeição e doçura.
    (Charles Chaplin)

    Feliz Páscoa, querida amiga Ânia!
    Bjm carinhoso e pascal

    ResponderExcluir