Sonetos de um tempo em que os sonhos e a magia flutuavam em minhas varandas

sábado, 22 de julho de 2017

Sempre a mesma estrada...







Tantas vezes andei nessa estrada,
na noite fria, silenciosa e escura,
cabisbaixa, mas ainda com ternura,
retinha tua imagem no peito guardada...

Tantas vezes chorei nessa estrada,
passo a passo, seguia com tristura,
dos teus sentimentos tão insegura,
avançava, triste, acabrunhada...

Tantas vezes refiz esse caminho,
sempre solitária, sem teu carinho,
trilhava te afagando em meu pensar...

Hoje, depois de um tempo passado,
percorro o mesmo caminho traçado,
ainda pensando, sonhando te encontrar...
(ania)

Obrigada pela linda e inspirada interação poeta JAIRCLOPES, amei!!!


Sempre aquela estrada

Aquela estrada percorrida tantas vezes
Nem sempre calma, muitas vezes escura
Por tanto que a percorramos, mui perdura
Passem muitos dias, anos ou tantos meses.

Estrada de traçados não muito corteses
A qual ao ignoto nos amolga e mistura
Tornando-nos a alma, portanto, insegura
Levando-nos de cambulhada como reses.

Contudo, não há um diferentes caminhos
Até porque percorremos, assim tão sozinhos
E sem muita certeza do porquê se trilha.

A estrada conjuga futuro com passado
Naquele tão teimoso e obtuso traçado
Contudo, há recompensa que no fim brilha!
(JAIRCLOPES)



2 comentários:

  1. Sempre aquela estrada

    Aquela estrada percorrida tantas vezes
    Nem sempre calma, muitas vezes escura
    Por tanto que a percorramos, mui perdura
    Passem muitos dias, anos ou tantos meses.

    Estrada de traçados não muito corteses
    A qual ao ignoto nos amolga e mistura
    Tornando-nos a alma, portanto, insegura
    Levando-nos de cambulhada como reses.

    Contudo, não há um diferentes caminhos
    Até porque percorremos, assim tão sozinhos
    E sem muita certeza do porquê se trilha.

    A estrada conjuga futuro com passado
    Naquele tão teimoso e obtuso traçado
    Contudo, há recompensa que no fim brilha!
    .

    ResponderExcluir
  2. E na estrada da vida vamos caminhando.
    Lindos os dois poemas.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir